Eu e Freud

25/07/2017 - 9:00

Quando decidi parar de trabalhar ouvi de tudo: Como, você vai parar? O que vai fazer? Com tanta energia, como vai conseguir deixar sua atividade?  Eu também não sabia as respostas para essas perguntas. Afinal, trabalhando desde os 18 anos, não conhecia a vida sem o trabalho. Mas me deixei levar por aquele propósito novo de vida. Quis o meu amigo destino que chegasse até mim a informação sobre um curso de psicanálise.

Com mais tempo para mim, resolvi me inscrever. Quase pulei de alegria quando fui aprovada e me matriculei no Centro de Estudos Psicanalíticos. Sempre me interessei pelos assuntos que tratam do ser humano, seu comportamento e complexidades, mas nunca tinha me aprofundado nesse ou qualquer estudo do tipo.

Fiz terapia em duas oportunidades longínquas. E a maior proximidade que tinha até aquele momento com assuntos dessa natureza era através de leituras, palestras e filmes. Não sabia nem mesmo a real diferença entre psicologia e psicanálise.

As aulas iniciais que contavam a história da psicanálise me fascinaram. Ao decorrer do curso, porém, me deparei com a complexidade das palavras não usuais no meu vocabulário… E isso começou a atrapalhar a minha compreensão. A sensação do não saber, a dificuldade no entendimento me deram mais força para continuar.

Ao acabar o primeiro semestre, percebi que era possível seguir com o curso e aprendi a não ter ansiedade por não saber. O sentimento que me acompanha agora é o de conhecer o desconhecido, me aproximar de um estudo tão complexo e apaixonante.

Todos os temas – quando eu conseguia compreender mais profundamente – falavam comigo, despertavam lembranças e sentimentos da minha vida que sempre me questionei. Compartilhados com os colegas que tinham colocações muito ricas, fui percebendo que aquelas dúvidas existenciais que parecem só acontecer com a gente também ocorrem com os outros (quanto egoísmo, aliás que ego, hein!).

Essa turma incrível de pensadores são os meus colegas no curso

Outra importante descoberta é entender que nasci “eu” e fiquei um pouco de tudo que me rodeia. Isso é mágico! O curso tem me transmitido um novo olhar para a vida e para mim mesma. Estou me revisitando, me renovando e me abrindo para um novo conhecimento.

E como diz o meu caro filósofo Mario Sergio Cortella: “Mudar é complicado? Acomodar é perecer.” Eu concordo.

16 Comentários

  • Que legal Vera, com certeza este é um belo caminho para viver melhor, e tbem compreender e entender o ser humano. Parabéns pela iniciativa. Voce sempre com idéias brilhantes. Parabéns!!! Bj

  • Anita

    25/07/2017 14:38 Responder

    Que bom Vera querida, uma vez campeã, sempre campeã, bjs

  • Determinada, arrojada, inteligente,inquieta, curiosa… e muito mais vao resultar numa psicanalista incrivel.
    Te admiro muito!!!!
    Bjs

  • Fernanda

    26/07/2017 16:43 Responder

    Que barbaro! Ao sair da zona de conforto nos deparamos com um mundao tao interessante, não e mesmo? Beijocas

  • LILian

    28/07/2017 16:50 Responder

    Vera, querida, que prazer e riqueza te ter como colega nesse curso, nessa jornada! Beijos lilian

    • vera simão

      28/07/2017 20:43 Responder

      Lilian tenha a certeza que o prazer é todo meu, muito obrigada, abs

  • Jailton

    30/07/2017 0:29 Responder

    Oi Vera, muito bacana o seu depoimento sobre o nosso curso. Também quero parabeniza-la pelo site. Está bem elaborado e gostoso de ler!

  • Isabel Bellem

    01/08/2017 15:21 Responder

    Vera minha amiga, desejo sorte, sorte ,sorte nessa nova vida ! minha admiração por vc ! abraços

  • Tatá C Duarte

    03/08/2017 11:53 Responder

    Essa é a Vera… irrequieta, acelerada, curiosa, determinada…
    conviver com vc é sempre um aprendizado!

Deixe seu comentário