Visita à École Hôtelière

05/06/2017 - 6:46

Em março deste ano, fui visitar uma amiga em Paris, cidade de muitas lembranças. Decidi rever o lugar que foi um marco importante no meu processo de aprendizagem – a École Hôtelière Jean Drouant. Cheguei lá pela primeira vez em 1976, sem saber o quanto aquela viagem seria importante para minha jornada profissional. Eu era uma jovem, na época, um pouco assustada com minha primeira viagem ao exterior. Fui fazer um estágio de observação na escola de hotelaria, que neste ano de 2017 completou 80 anos formando mão-de-obra para restaurantes e hotéis.

Cheguei em pleno inverno e morei em uma casa de estudantes perto da Escola. Frequentei por meses o mesmo café, onde pedia sempre um croissant (e não é que o café continua lá?). Não dominava o idioma como eu imaginava e assim passei a conviver diariamente com os alunos, participando das atividades de serviço de sala e de cozinha. Foi o meu primeiro passo para conhecer desde corte de carne até tirar pele de peixe.

O mesmo café e o mesmo sabor do tradicional croissant

Participava das aulas teóricas pela manhã e, no período da tarde, frequentava as aulas práticas de serviço de sala. Aprendi a montar a mesa, a dispor os talheres da maneira correta, qual copo mais adequado para cada bebida, a dobrar guardanapo, tirar comanda, servir pelo lado direito e retirar o prato pelo esquerdo. Todos esses detalhes me tornaram uma apaixonada pela lógica, pela organização e pela grande preocupação (ou importância) com o “bem-servir”.

Além do dia a dia na Escola, fiz estágios em restaurantes e hotéis de renome em Paris e realizei uma viagem inesquecível com os alunos e Diretores da Escola por algumas das importantes regiões vinícolas da França.

Acompanhei o processo de seleção de jovens adolescentes para chefe de cozinha, ao lado de uma banca examinadora da qual faziam parte grandes nomes da cozinha francesa, como Paul Bocuse. Jovens esses que tinham o desejo, muitas vezes por tradição familiar, de se tornarem reconhecidos na gastronomia. Foi uma experiência inesquecível e importante para minha carreira e revisitar a escola e tantas memórias me emocionou.

Confesso que fiz até uma pequena filmagem contando essa história bem na frente da Escola… Mas essa primeira experiência foi um desastre! Preferi escrever.

7 Comentários

Deixe seu comentário